• Pericles Júnior

REF: 978-85-67901-24-4 Categoria Etiquetas: , , , ,

Carnívora

por: Pericles Júnior
4 de 5 baseado em 1 avaliação de clientes
1 avaliação de cliente
“E quando o sangue, a morte e o terror são espalhados por uma força muito superior a dos traficantes ou policiais?”
Carnívora é um álbum de terror que conta a história de Carlos, um policial civil à procura de sua noiva desaparecida após um sequestro. Como única pista, um endereço: Morro da Caveira. O maior complexo de comunidades do Rio de Janeiro. Mas não apenas isso. Intrigantes relatos dos moradores chamam a atenção. Todos contam a mesma história: o topo do morro é assombrado por pequenas criaturas carnívoras, parecidas com crianças, que levam terror e morte às redondezas. É lá que a procura de Carlos começa e ele vai encontrar o que menos espera. Mas não só sustos e sanguinolência que compõe Carnívora. A história faz refletir sobre o preço de nossas escolhas, o que pode trazer a tona os verdadeiros monstros.
Formato: 17,5cm X26,5cm
Tipo de capa: 4/1 cartão triples 300
Papel: Off set 90g
Miolo: Preto e branco
Quantidade de páginas: 120
Publisher: Artur Vecchi
BOTAO_COMPRAR2
em Ebook: Amazon, Apple, Kobo

R$ 50,00 R$ 45,00

Sobre este Livros
Release
Preview:
Veja o trailer: 

Resenha do canal Literatura Dark – 07/10/2015
https://www.youtube.com/watch?v=bvSOZ1evXWI
Detalhes

ISBN: 978-85-67901-24-4
Editora: AVEC Editora©
Data de Lançamento: 2015
Páginas: 120

  1. 4 de 5
    Posted

    Antes que me perguntem, já digo que vou muito bem! Melhor agora após ler essa HQ e ter minhas dúvidas tiradas pelo próprio autor.

    É isso mesmo! Não sou profunda conhecedora de HQs, seus traços e diálogos e tive algumas dúvidas. A Avec me colocou em contato com o autor que tirou minhas dúvidas e me fez ver ainda mais beleza onde a grata surpresa já havia sido presente!

    Vou começar com a história em si e depois conto minhas dúvidas e as respostas do autor, ok?

    A HQ já começa em plena ação no Complexo da Caveira, com perseguição policial.

    O que seria pior? Ter a polícia em seu encalço e ficar às margens do morro ou ir até o topo e verificar se a lenda que ronda o local é verdadeira? Todos dizem que o topo do morro é assombrado e quem vai, não volta.

    É claro que fiquei curiosa demais em saber o que rolava ali e Pericles Junior, segurou muito bem esse suspense.

    O policial Carlos teve sua noiva sequestrada e vai até o topo do morro, se precisar, para encontrá-la.

    Carlos tem uma presença fortíssima! Em todos os sentidos. (do tipo que pegaríamos! Não… melhor eu não escrever isso!)

    Forte também é a presença de Jéssica, a delegada adjunta, recém chegada no local e já se deparando com uma missão dessa que deve liderar e, talvez por ser mulher ou novata, não é muito levada a sério… A construção do personagem dela é linda. Começa levando uma “comida” da chefe por não ter se imposto como devia e depois mostra a que veio.
    Impossível não gostar de Jéssica!

    Outra presença marcante, é a do ser religioso que perdeu os filhos num confronto de bandido e polícia. Eles morreram de bala perdida! É ele que explica todo o mistério que ronda o local para minha policial favorita: Jéssica.

    Pericles também intercala passado e presente: Passado, quando Carlos conheceu e se apaixonou por sua noiva, na praia e presente, com a realidade de que ela foi sequestrada (por vingança?) e que talvez jamais volte a revê-la.

    Tudo não é exatamente como parece. Há muitas surpresas e mistérios desvendados ao longo da HQ.

    A outra maneira de ler a história é através das ilustrações de Pericles. Cara…. isso ele faz bem demais! As expressões faciais e corporais são de tirar o fôlego. O sombreamento, a perspectiva e a noção de movimento são lindos de ver. Tem toque de mestre ali.

    Os diálogos são verossímeis. é a linguagem do morro, a linguagem policial. É cru! É denso!

    Ainda falando dos diálogos, o que me chamou demais a atenção foi a inteligência da criação. A rapidez de raciocínio. A Sociologia ali contida, explícita em palavras e comportamentos, mas “escondida” através do entretenimento.

    Ilustrando o que disse:

    As dúvidas que tive e as respostas de Pericles, a quem agradeço mais uma vez e reitero: tornei-me fã!

    Telma: O primeiro assassinato que acontece no livro, no topo do morro da caveira, acontece de noite, mas quando viramos a página e vemos o grito do cara que foi atacado, há nuvens brancas no céu e não parece ser noite, como mostrado anteriormente. Mesmo a luz da lua não deixaria o céu tão claro. Estou errada?

    Péricles: A primeira parte seria pra dar um clima mesmo… as “nuvens” funcionam ali como neblina… tipo os bgs das primeiras versões do Scooby Doo… adoro esse clima e como é preto e branco tenho que ter cuidados pra mostrar o que quero, como o que aconteceu na cena seguinte.. já dei a informação que é noite e agora quero mostrar a cena.

    Telma: Quando a sub delegada está tendo uma conversa com sua amiga e diz que está sozinha, que chegou em casa mas já já tem que sair de novo para trabalhar. No último quadrinho ela diz:”É lindinho, por que pegam tanto no meu pé?” Há uma mão no braço dela. É uma sugestão de que ela não está sozinha? Quem está com ela (não encontrei isso mais a frente).

    Pericles: Ali seria ela segurando a própria perna. É porque ambos, braço e perna, estão na mesma direção… por isso deve ter confundido.

    Telma: Amei a expressividade dos seus traços. Amei sua capacidade de colocar em evidência o que deseja. Amei sua noção de sombramento e proporções, amei a “sujeira” em alguns dos quadros…mas achei tudo um pouco claro para uma HQ de terror. A claridade foi intencional?

    Pericles: A claridade foi intencional. Gosto de contar histórias frisando expressões corporais e faciais. Como disse anteriormente, dou a informação de que a cena é de dia ou noite e depois mostro a cena pro leitor “ler” os desenhos também… fora que acho algumas HQs de terror escuras demais. E no caso de Carnívora, temos mais elementos do que o terror propriamente dito.

    Telma: É isso, vou fazer a resenha e queria tirar essas dúvidas antes. Queria saber o que se passou na sua cabecinha (além daquele maravilhoso trabalho de passo a passo da produção no final do livro).

    Pericles: Novamente obrigado mesmo e qualquer coisa é só chamar.

    Ao final, temos um maravilhoso passo-a-passo da produção das páginas e design dos personagens?

    É pouco ou quer mais?

Livros de Pericles Júnior
Carnivora-Capa-baixa_Fronte
Carnívora 2015